Muitos foram os povos existentes nos tempos passados, cada um com uma cultura, uma maneira de viver diferente, bastante particular diga-se de passagem. Entre esses povos encontramos os espartanos onde sua cultura e estilo de vida era voltado para uma sociedade militar. Existindo uma forte hierarquia, onde os poderes eram bem divididos e uma vez nascido escravo, morreria escravo.

Esparta foi uma Cidade–Estado da Grécia, foi fundada pelos Dórios ao invadirem a península de Peloponeso em meados do século XII a.C., antes as terras eram habitadas por uma grande população, mas os Dórios por ser um povo guerreiro, dominou com facilidade o local, deixando um acampamento militar na região para manter a ordem, uma vez que a população existente mesmo após a derrota era maioria. A planície de Lacônia foi onde Esparta se formou, em uma área rodeado da por montanhas e banhada pelo rio Eurotas.O povo espartano era sub-dividido em três classes: os esparciatas, periecos e hilotasOs esparciatas eram a população descendentes direta dos dórias, essa classe dominava o poder político de Esparta, eram os integrantes dos exércitos e eram os que possuiam grandes quantidades de terras e poder econômico. Além de serem os únicos a receberem a educação espartana. Sendo responsáveis também pela administração de Esparta.s

Periecos

Eram chamados de periecos as pessoas livres como os pequenos comerciantes, agricultores e artesãos que viviam  em Esparta. Eles eram os descendentes da população dominada que não foram contra a invasão dos dórios. Não tinha direito a política espartana e nem a educação. E eram obrigados a pagar impostos.

Hilotas

Essa era a classe escrava existente em Esparta. Descendentes de parte da população que foi contra a invasão do dórias. Viviam na miséria, pois não tinham direito a nada. Apenas trabalhavam de graça, eram alvos de humilhação e massacres. E em qualquer tentativa de rebelião era cruelmente repreendidos pelo exército espartano.

Religião de Esparta

Assim como a grande cidade da Grécia, o povo espartano acreditava em vários Deuses, tendo então, uma religião politeísta. para cada evento ocorrido no mundo, um Deus era responsável. Por exemplo, o Deus do mar era poseidon, Apollo era o Deus do Sol, Afrodite a Deusa do amor, entre outros.

Educação espartana

Desde pequenas, as crianças de Esparta eram incentivadas a crescerem para a guerra. Até os 7 anos elas eram criadas pelos pais, após isso eram enviadas para os cuidados do governo, mais exatamente do exército. Lá viviam uma vida cheia de treinamento de combate e exercícios físicos. Essa rotina também era repassada entre as mulheres, para que as mesmas pudessem ter saúde e  assim, gerassem filhos fortes. Aos 30 anos o espartano virava oficial e ganhava os direitos políticos.

A política de Esparta

A política da cidade de Esparta era composta por:

  • Dois Reis, onde um detinha o poder da milícia e o outro da religioso;
  • Pela Apela que era uma assembleia, onde fazia parte os  cidadãos espartanos que tinham mais de 30 anos. O objetivo desse grupo era de opinarem uma vez ao mês sobre as propostas políticas, podendo aceitar ou negar uma Lei.
  • Pela Gerúsia, um grupo formado por 28 anciões, ou seja, espartanos com mais de 60 anos. Tinham funções no âmbito legislativo e jurídico, além de terem poder para decisções sobre políticas externas.
  • E os Éforos. Este grupo continham 5 representantes e tratava dos assuntos executivos, sendo um dos grupos mais importantes de Esparta. Eram elegidos pela Apela, e tinham o poder de trabalhar com as funções públicas, econômicas e de fiscalização.